Foi no exato momento que você me olhou que uma borboleta cruzou o vale e um moço distraído tropeçou em uma pedra enquanto uma moça enxugava as lágrimas na manga da blusa e eu te olhei e o ônibus cruzou a rua e eu te perdi de vista.
Mas foi quando a sua mão tocou a minha que o mar em festa explodiu em ondas que chegaram até o céu manchando o azul de branco e do outro lado do oceano uma criança nascia e tinha seus cachos e a doçura dos meus olhos quando olham os seus no mesmo instante que em algum lugar o primeiro raio de sol rasgava a escuridão e eu te falei de amor sem palavras e você me falou de amor sem palavras e nossos corpos ficaram tatuados nas pedras até que o sol rompeu por trás do lado de lá do mundo pra dentro do meu peito e você me disse até logo na mesma hora que alguém dizia adeus e o vento passou e confundiu as frases e então você desapareceu. Enquanto em mim nasciam flores e uma borboleta cruzava o vale e um moço distraído tropeçou em uma pedra e uma moça enxugava as lágrimas na manga de blusa e era eu.

Um comentário: